A mutual

comunalogonovalaranja_-_C__pia_vectorized

A primeira mutualidade brasileira formalmente constituída, ASSOCIAÇÃO MUTUAL TERRRA COMUM!

 

Obrigado a todos que participam deste projeto e a todos que contibuiram para a realização da assembleia, presencial ou virtualmente. 

 

Assista a gravação dos encontros:

 

Sábado, 21/05 – Palestra:

 

 

Domingo, 22/05 – Assembleia inaugural:

 

 

 

Acompanhe-nos também no Facebook:

 

www.youtube.com/watch?v=EBP8x0KPPQE ... Continuar...Menos <

Ver no facebook

Leo Giacomo Venzon adicionou uma foto ao álbum 15 de outubro de 2013 no grupo PROPRIEDADE COLETIVA E PARTILHA DA POSSE. ... Continuar...Menos <

Ver no facebook

DE COMUNIDADE A CONDOMÍNIO E POUSADA:
A Pousada e a Comunidade do Monte Crista nasceram de sonhos e ideais de José Scussel, bem como de suas vivências de fraternidade franciscana, e passagem por muitas comunidades.
Para a formação da Comunidade foram feitas muitas reuniões e encontros com o objetivo de aprofundar e consolidar a ideia, e de um dos grupos que passaram pela comunidade, ela nasceu, nasceu como uma comunidade com uma pousada que tinha apenas com o objetivo de dar abrigo para pessoas que fossem conhecer a comunidade.
Por dois anos o José foi o líder desta comunidade que nascia com a “liga” de ser um lugar de pequenas casas simples com um grupo que buscava expansão de consciência; nestes dois primeiros anos a comunidade buscou a integração e a construção das estruturas básicas como estrada, água e energia elétrica.
A forma de ocupação foi por venda de terreno privado de 500 m2 que não divisava um com outro. Entre eles havia uma área comum para construção de caminhos e administração comunitária. A ideia era trocar o paradigma urbano de casas divididas por muros por casas interligadas por caminhos. Os terrenos não foram demarcados. Com o tempo, os encontros de convívio foram substituídos por reuniões para tomada de decisão, o propósito que uniu o grupo foi transformando-se mais em propósitos pessoais do que em propósito de desenvolvimento da consciência, começou a posse indevida da área comum, e com ela surgiram alguns desentendimentos na expansão dos terrenos. isso fez com que o José se retirasse da comunidade, fortalecendo o antigo propósito na pousada.
Segundo o José, se fosse hoje, ele não faria mais a venda de área privada e sim um contrato de comodato. Ele também fez uma revisão no seu sonho de “liderança circular”, passou a ver a importância do líder. Ele aprendeu também que o processo decisório é mais importante do que a decisão em si e que é de suma importância resolver conflitos antes da tomada de decisão. Que é preciso um líder que saiba ouvir, motivar a participação e a caminhada na direção dos ideais e, conduzir para a tomada de decisão e o seu cumprimento.
Não dá para dizer que a comunidade tenha sido um fracasso, mesmo que hoje ela seja apenas uma área residencial, com algumas casas simples e outras suntuosas, bem diferente do projeto inicial, é um espaço privilegiado de bons valores. Alguns residentes oferecem terapias e artes e são parceiros nas atividades desenvolvidas na pousada. A pousada é mais um centro de propulsão para uma nova consciência, onde todo o propósito idealizado para a comunidade pode ser implantado e está em funcionamento.
O Monte Crista é um espaço de vivências e a pousada e restaurante servem este espaço. Há uma cosmovisão e filosofia de vida que sustentam o propósito. O lugar tem produção agrícola de orgânicos, tratamento de esgoto e reciclagem do lixo. Das pessoas que trabalham na pousada (funcionários) alguns residem na “comunidade” e outros não.
Jaqueline Carvalho Lunardi
... Continuar...Menos <

Ver no facebook

UNIDADE REFERENCIAL DE VALOR - URV
O GLOBO RURAL reportou as bodas de diamante do casal Heck que em 1935 viajou 600km de carroça de Sta. Cruz do Sul (RS) a Tunápolis (SC) para ocupar o seu lote colonial de terra (25 hectares). Eles tiveram 17 filhos e para cada um o velho Heck comprou um pedaço de terra, exigindo de cada filho beneficiado que ele devolvesse o valor investido nele, pagando ao longo dos anos o preço pago pela terra em quilos de porco vivo, que o velho Heck vendia os porcos em pé e assim podia comprar mais terras para os filhos mais novos. Isso é MUTUALISMO e o quilo do porco é uma URV. O quilo do porco serviu perfeitamente para a manutenção dos valores (terra) da família Heck, ele não serviria para nosso propósito de restaurar a Comuna, também não serviria para nós a saca de soja, o valor do CUB ou do saco de cimento. Minha sugestão é no sentido da reserva de valor universal de última instância, que nenhum governo nem corporação tem como manipular o seu valor, que oscila muito em médio prazo, mas apresenta uma estabilidade surpreendente em ciclos de tempo mais longo de 20 anos...
... Continuar...Menos <

Ver no facebook

Revolução ... Continuar...Menos <

A nossa energia tá precisando fluir em novas direções! Conheça mais sobre a gestão de ecovilas e as suas colaborações para vidas mais simples, naturais e coletivas. Entre e fique à vontade: ht...

Ver no facebook

 

Powered by themekiller.com watchanimeonline.co